Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Desp 1.626 - 2009

Salvar em PDF

 



AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS

DESPACHO DO SUPERINTENDENTE Nº 1.626/2009 - DOU 25.8.2009

Em 24 de agosto de 2009

O SUPERINTENDENTE DE COMERCIALIZAÇÃO E MOVIMENTAÇÃO DE PETRÓLEO, SEUS DERIVADOS E GÁS NATURAL da AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS - ANP, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pela Portaria ANP nº 206, de 9 de setembro de 2004, em cumprimento ao art. 5º da Portaria ANP nº 170, de 26 de novembro de 1998, tendo em vista o constante do Processo ANP nº 48610.002646/2009-16 e considerando:

As informações e o projeto apresentados pela empresa Petrobras Transporte S/A - TRANSPETRO à ANP, referentes à construção, de tanques verticais, de um Quadro de Bóias e de um oleoduto para a Unidade de Gasolina no Terminal Aquaviário de Guamaré/RN; e

A solicitação feita pela empresa Petrobras Transporte S/A - TRANSPETRO à ANP, por intermédio da correspondência TRANS/DTO/COM nº 3.054/2009, datada de 13 de março de 2009, para a obtenção de Autorização de Construção do referido empreendimento,

Resolve:

1. Publicar um sumário do memorial do projeto pretendido, integralmente baseado nas informações e no projeto apresentados pela empresa Petrobras Transporte S/A - TRANSPETRO (Anexo do presente despacho);

2. Indicar a "Superintendência de Comercialização e Movimentação de Petróleo, seus Derivados e Gás Natural" da ANP, com endereçamento à Av. Rio Branco, 65, 17º andar, Edifício Visconde de Itaboraí, Centro, 20.090-004, Rio de Janeiro/RJ ou através do endereço eletrônico, scm@anp.gov.br para o encaminhamento, até 30 dias a partir da publicação, de comentários e sugestões; e

3. Informar que a documentação apresentada pela empresa Petrobras Transporte S/A - TRANSPETRO continua em processo de análise pela ANP e que a publicação do presente despacho não implica autorização prévia concedida pela ANP.

JOSÉ CESÁRIO CECCHI

ANEXODESCRIÇÃO SUCINTA DO EMPREENDIMENTO

O empreendimento consiste na implementação de Instalações, no Terminal Aquaviário de Guamaré da TRANSPETRO, visando propiciar a criação das infra-estruturas marítimas e terrestres para realização da logística de recebimento e expedição de derivados de petróleo claros, atendendo ao empreendimento da Unidade de Gasolina de Guamaré (UGG), localizado no Pólo Industrial de Guamaré no Estado do Rio Grande do Norte.

As principais instalações a serem implementadas estão listadas a seguir:

- 02 (dois) tanques verticais para o armazenamento de nafta craqueada;

- 02 (dois) tanques verticais para o armazenamento de nafta petroquímica;

- 02 (dois) tanques verticais para o armazenamento de óleo diesel S-50;

- 04 (quatro) tanques auxiliares para drenagem fechada do fundo dos tanques principais;

- adaptação de um tanque existente, que opera com petróleo (TQ-41003), para armazenamento de diesel S-2000;

- 02 (duas) bombas para carregamento de navios com nafta petroquímica;

- 02 (duas) bombas para carregamento de navios com diesel S-2000;

- 02 (duas) bombas de transferência de diesel S-50 para a base de distribuição da BR;

- 02 (duas) bombas de transferência de diesel para os tanques de diesel S-500 da UTPF;

- 02 (duas) bombas para transferência de nafta craqueada para os tanques de gasolina da UTPF;

- 04 (quatro) bombas de retorno de produto drenado de volta para os tanques de armazenamento;

- uma EMED (Estação de Medição) para o diesel S-50 que for transferido para a base de distribuição da BR (BAGAM);

- um duto com DN de 20", para a expedição de derivados claros, que se inicia dentro da área de scrapers da Unidade e termina em um manifold submarino (PLEM) situado a aproximadamente 19 Km da linha da praia do Minhoto, em Guamaré. Este duto tem uma extensão de aproximadamente 4,9 Km em terra e 18,6 Km no mar, totalizando 23,5 Km de extensão;

- um Quadro de Bóias Oeste de Ubarana, que operará com navios de derivados claros com capacidade de 50.000 toneladas de porte bruto (TPB).

As principais características dos tanques e do duto, em terra, estão descritas nas tabelas a seguir:

Tabela 1 - TANQUES DO TERMINAL MARÍTIMO

TAG

Tipo

Produto

Diâmetro (m)

Altura (m)

Capacidade (m³)

TQ-63113001

Teto fixo c/ selo flutuante

Nafta craqueada

30,500

16,000

10.000

TQ-63113002

Teto fixo c/ selo flutuante

Nafta craqueada

30,500

16,000

10.000

TQ-63113003

Teto fixo c/ selo flutuante

Nafta petroquímica

30,500

16,000

10.000

TQ-63113004

Teto fixo c/ selo flutuante

Nafta petroquímica

30,500

16,000

10.000

TQ-63113005

Teto fixo c/ selo flutuante

Diesel S-50

30,500

17,500

11.500

TQ-63113006

Teto fixo c/ selo flutuante

Diesel S-50

30,500

17,500

11.500

TQ-63113007 (tanque existente, passando por adequação)

Teto flutuante

Diesel S-2000

45,811

14,66

24.157

Tabela 2 - TANQUES AUXILIARES DE DRENAGEM

TAG

Tipo

Produto

Diâmetro (m)

Altura (m)

Capacidade (m³)

TQ-5323001

Teto fixo

Nafta craqueada

2,500

2,500

10,000

TQ-5323002

Teto fixo

Nafta petroquímica

2,500

2,500

10,000

TQ-5323003

Teto fixo

Diesel S-50/TAD

2,500

2,500

10,000

TQ-5323004

Teto fixo

Diesel S-2000/TAD

2,500

2,500

10,000

Tabela 3 - DUTOS DE CLAROS - TRECHO TERRESTRE

Diâmetro (pol)

Extensão (Km)

Material

Espessura (pol)

Vazão Max (m³/h)

Vazão Oper. (m³/h)

Pressão Max. (kgf/cm²)

Pressão projeto (kgf/cm²)

Produtos

20

4,9

Aço carbono API-5L-GrB

0,375

1.240

850 a 1100

30

50

Nafta craqueada

Nafta petroquímica

Diesel S-50

Diesel S-2000

As instalações no mar são compostas pelo trecho submarino do duto, que é interligado ao trecho terrestre, que termina em um manifold submarino (PLEM) situado a aproximadamente 19 Km da linha da praia do Minhoto, em Guamaré. Este duto tem diâmetro nominal de 20" e uma extensão de aproximadamente 19 Km no mar.

Nas imediações do PLEM será instalado o novo Quadro de Bóias Oeste de Ubarana, que operará com navios de derivados claros com capacidade de 50.000 toneladas de porte bruto (TPB). O Quadro de Bóias consiste de um sistema convencional com 4 (quatro) bóias de amarração que formam um único berço, onde o navio é amarrado após lançamento das suas duas âncoras de proa, que terá capacidade para amarrar navios com as seguintes características:

Tabela 4 - QUADRO DE BÓIAS - EMBARCAÇÕES

TPB

Calado (m)

Comprimento (LOA) (m)

50.000

10,50

211

Em seguida, apresenta-se um quadro resumo dos principais equipamentos que compõem as novas instalações em mar do Terminal de Guamaré:

Tabela 5 - DUTOS DE CLAROS - TRECHO SUBMARINO

Diâmetro (pol)

Extensão (Km)

Material

Espessura (pol)

Vazão Max (m³/h)

Vazão Oper. (m³/h)

Pressão Max. (kgf/cm²)

Pressão projeto (kgf/cm²)

Produtos

20

18,6

Aço carbono API-5L-X65

0,500

1.240

850 a 1100

30

50

Nafta craqueada

Nafta petroquímica

Diesel S-50

Diesel S-2000

Tabela 6 - QUADRO DE BÓIAS MARÍTIMO

Tipo

Quant. de bóias

Diâmetro externo de cada bóia (m)

Altura da bóia (m)

Peso de cada bóia (ton)

Empuxo disponível (ton)

Gancho de amarração

Quant.

Tipo

Capacidade (ton)

Cilíndrica compartimentada

4

4

2

9

16

2 por bóia

Escape rápido

40 individual

ASPECTOS TÉCNICOS DO PROJETO

1. SISTEMAS DE DRENAGEM

A drenagem das bacias de todos os novos tanques de armazenamento de produtos, deverá ser realizada por meio de canaletas circunferenciais ao redor dos tanques, canaletas periféricas ao longo dos diques e canaletas radiais interligando as canaletas circunferenciais às caixas de saída das bacias.

Externamente à bacia, deverão ser instaladas caixas de válvulas de modo a controlar o envio das águas contidas na bacia para o respectivo sistema de drenagem pluvial ou contaminado já existentes na Unidade UTPF.

1.1 DRENAGEM DOS TANQUES DE ARMAZENAMENTO DE PRODUTOS

Para cada conjunto de tanques com mesmo produto armazenado, existirá um sistema de drenagem fechada direcionada para um tanque auxiliar de drenagem, vertical, com 10 m³ de capacidade, denominado TAD (Tanque Auxiliar de Drenagem). Ele serve para facilitar a operação de drenagem de água e permitir a recuperação do produto drenado junto com a água.

A operação de drenagem de água será manual e deve transferir uma quantidade correspondente ao volume útil do TAD, que após repouso e separação das fases, retornará o produto livre de água para o tanque de armazenamento, por meio de bomba.

A drenagem da fase aquosa será realizada manualmente, pelo operador, através de uma válvula instalada na tubulação de saída do TAD direcionada para o sistema de água oleosa, por gravidade.

2. DESCRIÇÃO DAS INSTALAÇÕES DO TERMINAL MARÍTIMO

2.1 INSTALAÇÕES DO TERMINAL MARÍTIMO - EXISTENTES

2.1.1 SISTEMA DE RECEBIMENTO, ARMAZENAMENTO E EXPEDIÇÃO DE DIESEL S-2000

O tanque existente denominado TQ-41003, cuja denominação foi alterada para TQ-6313007, receberá o diesel S-2000 produzido nas Unidades Produtoras de Diesel e QAV do Pólo Industrial de Guamaré (U-260 e U-270) e expedirá para navios atracados no novo quadro de bóias de Ubarana, através do novo duto submarino de derivados claros. A capacidade do tanque TQ-6313007 será de 24.000 m³.

2.2 INSTALAÇÕES DO TERMINAL MARÍTIMO - NOVAS

Os principais equipamentos que serão instalados na área estão listados abaixo com suas capacidades indicadas.

2.2.1 SISTEMA DE RECEBIMENTO, ARMAZENAMENTO E EXPEDIÇÃO DE DIESEL S-2000:

Foi previsto um sistema de bombeio para transferência marítima de diesel S-2000, bombas B-6213002 A/B, e sua interligação com o tanque de armazenamento, TQ-6313007, (sucção) e com o lançador do duto submarino de claros (recalque). Esse sistema também será utilizado para transferir produto para o tanque TQ-6313005 quando o TQ-6313007 estiver em manutenção. Haverá interligações entre o tanque de diesel S-200, TQ-6313007, e o tanque de diesel S-50, TQ-6313005, permitindo a continuação do recebimento, armazenamento e transferência de diesel S-2000, quando o tanque TQ-6313007 parar para manutenção.

O sistema de drenagem fechada será composto de tanque auxiliar de drenagem, de 10 m³, TQ-5323004, bomba para retorno do diesel recuperado, B-5323004, e interligações entre o tanque de diesel S-2000 e o TAD.

2.2.2 SISTEMA DE RECEBIMENTO, ARMAZENAMENTO E EXPEDIÇÃO DE DIESEL S-50:

Haverá 02 (dois) tanques de armazenamento, TQ-6313005 e TQ-6313006, que receberão o diesel S-50 descarregado por navios que utilizam o quadro de bóias e o duto submarino, e expedirão para a Base de Distribuição e, também, para os tanques de diesel S-500 já existentes na UTPF que formularão o diesel S-500, TQ-27009, TQ-27010 e TQ-27011. Haverá interligação entre os dois tanques de forma a permitir a transferência entre eles e a recirculação para o mesmo tanque.

O sistema de bombeio para transferência de diesel S-50, bombas B-6213003 A/B, e suas interligações com os tanques de armazenamento, TQ-6313005 e TQ-6313006, (sucção) e com o duto de entrega de diesel S-50, diretamente para a Base de Distribuição no Pólo Industrial de Guamaré (recalque), consistirá das bombas B-6213003 A/B, que irão operar em paralelo. O sistema de bombeio para transferência dutoviária de diesel S-50, bombas B-6213004 A/B, e suas interligações com os tanques de armazenamento, TQ-6313005 e TQ-6313006 (sucção), e com o duto de entrega de diesel S-50, diretamente para os tanques de diesel S-500 da UTPF, TQ-27009, TQ-27010 e TQ-27011 (recalque), contará as com bombas B-6213004 A/B.

O sistema de medição de transferência de custódia do diesel S-50 expedido para a Base de Distribuição contará com uma EMED - Estação de Medição com 01 trem de medição. Esta EMED deverá estar dimensionada para vazões aproximadas num range entre 90 e 300m³/h.

O sistema de drenagem fechada será composto de tanque auxiliar de drenagem de 10 m³, TQ-5323003, bomba para retorno do diesel recuperado, B-5323003, e interligações entre os tanques de diesel S-50 e esse TAD.

2.2.3 SISTEMA DE RECEBIMENTO, ARMAZENAMENTO E EXPEDIÇÃO DE NAFTA CRAQUEADA:

Haverá 02 (dois) tanques de armazenamento, TQ-6313001 e TQ-6313002, que receberão a nafta craqueada descarregada por navios que utilizam o quadro de bóias e o duto submarino, e expedirão para os tanques da UTPF que formularão a gasolina, TQ-27015 e TQ-27016. A capacidade dos tanques TQ-6313001/2 será de 10.000 m³. Foi prevista a interligação entre os dois tanques de forma a permitir a transferência entre eles e a recirculação para o mesmo tanque.

O sistema de bombeio para transferência dutoviária de nafta craqueada consistirá das bombas B-6213005 A/B e suas interligações com os tanques de armazenamento, TQ-6313001 e TQ-6313002 (sucção), e com o duto de entrega de nafta craqueada, diretamente para os tanques de gasolina da UTPF, TQ-27015 e TQ-27016 (recalque).

O sistema de drenagem fechada será composto de tanque auxiliar de drenagem de 10 m³, TQ-5323001, bomba para retorno da nafta craqueada recuperada, B-5323001, e interligações entre os tanques de nafta craqueada e esse TAD.

2.2.4 SISTEMA DE RECEBIMENTO, ARMAZENAMENTO E EXPEDIÇÃO DE NAFTA PETROQUÍMICA:

O sistema consistirá de 02 (dois) tanques de armazenamento, TQ-6313003 e TQ-6313004, que receberão a nafta tratada oriunda da Unidade de Tratamento Cáustico da UTPF e expedirão para navios atracados no quadro de bóias de Ubarana através do duto submarino de derivados claros. A capacidade dos tanques TQ-6313003 e TQ-6313004 será de 10.000 m³. Está prevista a interligação entre os dois tanques de forma a permitir a transferência entre eles e a recirculação para o mesmo tanque.

O sistema de bombeio para transferência marítima de nafta petroquímica, bombas B-6213001 A/B, interligação os Tanques de armazenamento TQ-6313003 e TQ-6313004 (sucção) ao lançador do duto submarino de claros (recalque).

O sistema de drenagem fechada será composto de tanque auxiliar de drenagem de 10 m³, TQ-5323002, bomba para retorno do diesel recuperado, B-5323002, e interligações entre o tanque de nafta petroquímica e o TAD.

3. DUTO DE CLAROS ENTRE O LANÇADOR/RECEBEDOR NA UNIDADE E O PLEM:

O oleoduto de transferência para nafta, com diâmetro nominal de 20 polegadas e extensão aproximada de 23 km, sendo aproximadamente 4,9 km terrestres e 18,6 km submarinos, interligando a tancagem em terra aos navios no quadro de bóias, será dotado de canhão lançador e recebedor de pig (scraper).

Haverá, ainda, PLEM submarino, com configuração em "F", para interligação entre o duto e o navio, composto por 3 válvulas submarinas, sendo 2 (duas) com DN 16" para conexão de mangotes e 1 (uma) em configuração cross-over para limpeza dos mangotes e 2 (duas) linhas de mangotes submarinos flexíveis, diâmetro nominal 16" e 10", extensão aproximada de 150 metros.

4. QUADRO DE BÓIAS PARA AMARRAÇÃO DE NAVIOS DE DERIVADOS CLAROS:

O Quadro de Bóias terá as características a seguir:

Localização

Oeste da plataforma PUB-4

Capacidade de amarração

Navios de até 50.000 TPB

Calado máximo

10,50 metros

Lâmina d'água

14,0 metros

Quantidade de bóias

4 um

Ganchos de amarração

2 un. por bóia

Capacidade do gancho

40 ton.

5. INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO

Os tanques de armazenamento possuirão sistema de medição de nível certificado para a transferência de custódia, devendo ser integrado ao Sistema de Telemetria em Tanques (STT) existente no Terminal. Todo o sistema de bombeio será comandado pelo Centro de Controle de Motores (CCM) previsto na subestação SE-410 e o Sistema de Supervisão e Controle (SSC) do Terminal.

As válvulas operacionais (XV´s) possuirão atuadores remotos inteligentes do fabricante Coester, e serão atuadas remotamente a partir do Sistema de Telecomando de Válvulas Motorizadas (STVM) do SCSC do Terminal Aquaviário - TRANSPETRO.

Após a descarga das bombas B-6213003 A/B, será instalada uma EMED do diesel S-50 com intuito de efetuar a transferência de custódia e medição fiscal para a Base de Guamaré da BR Distribuidora (BAGAM).

O duto será instrumentado, na chegada junto ao canhão lançador e recebedor (scraper), por meio de medidores e transmissores de vazão, pressão, temperatura e densidade, interligados ao Sistema Supervisório do Terminal.

O PLEM será instrumentado por meio de transmissor de pressão, interligado ao Sistema Supervisório do Terminal. As válvulas operacionais submarinas possuirão atuadores elétricos submarinos, desenvolvidos e testados pelo CENPES e serão acionados remotamente a partir do sistema de telecomando de válvulas motorizadas (STVM), através de sinal de rádio UHF instalado em bóia autônoma de comunicação e controle, com sistema de energia solar. Todos os alarmes serão sinalizados na IHM da Casa de Controle. As telas da Estação de Supervisão da Casa de Controle serão revisadas para adequá-las às modificações do projeto.

6. SISTEMA ELÉTRICO

O projeto básico do sistema elétrico consiste nas instalações necessárias para alimentação das cargas elétricas, incluindo iluminação e tomadas de serviços. Estas cargas serão alimentadas por painéis existentes na Subestação SE-410.

As alimentações dos circuitos de iluminação normal e emergência sairão dos novos transformadores e painéis de iluminação a ser instalados na área da nova casa de bombas e na área dos tanques TQ-6313005, TQ-6313006, TQ-5323003 e TQ-5323004. Os motores, transformadores de iluminação normal e emergência, tomadas de serviços e painéis de válvulas motorizadas serão alimentados em tensão de 480V, para iluminação a tensão de alimentação será de 220V. Os motores das bombas B-6213001A/B e B-6213002A/B serão alimentados em tensão 4160V.

7. CONSTRUÇÃO CIVIL

Segue abaixo uma descrição sucinta do projeto referente à construção civil na área do Terminal Marítimo:

- Pontilhões - de acordo com a necessidade da tubulação, serão construídos ou ampliados pontilhões nas travessias de ruas;

- Pátios de bombas - serão construídos 3 pátios de bombas, sendo 1 (um) próximo à casa de bombas existente; 01 (um) próximo aos tanques TQ-6313005/006 e 1 (um) próximo aos tanques TQ-6313001/002;

- Implantação de tanques - os tanques serão assentados em bases de fundação direta tipo anel de concreto armado atendendo às dimensões do projeto;

- Diques de contenção - Para contenção dos efluentes, serão construídos diques de terra (argila), revestidos de concreto armado, exceto para os tanques de Diesel S-50 que devido à necessidade de aproveitamento de espaço, os diques serão em paredes de concreto armado;

- Drenagem pluvial e contaminada - As chuvas incidentes na área da bacia de contenção serão direcionadas para as canaletas junto à parede do dique, com encaminhamento para as Caixas Coletoras, em concreto armado e através de tubulação serão enviadas para as Caixas de Válvulas, situadas no lado externo do dique. Nas caixas de válvula haverá a segregação do efluente e permitirá em caso de contaminação que o efluente seja enviado para o sistema contaminado. Constatada a não contaminação do efluente, este será encaminhado para o sistema pluvial limpo. Ao longo das novas ruas serão executadas canaletas dos dois lados para receberem as águas provenientes das chuvas e encaminhadas para o sistema pluvial limpo.

8. SISTEMA DE SEGURANÇA

A rede de incêndio será ampliada de forma a construir um anel em torno de todos os novos tanques, contemplando tubulações, hidrantes, canhões-monitores, válvulas, chuveiros lava olhos e abrigos de mangueira.

O processo de combate a incêndio nos tanques TQ-6313005, TQ-6313006, TQ-5323003 e TQ-5323004 será através inicialmente com a adição de solução de espuma ao interior do tanque sinistrado seguida do resfriamento com água através de hidrantes com canhões monitores anéis fixos de resfriamento. Também será aplicada água de resfriamento no costado do tanque vizinho.

Caso haja derramamento de óleo na área será lançada espuma através de sistemas portáteis de lançamento de espuma.

Serão instalados alarmes sonoros de emergência e câmeras de TV, integrados aos sistemas existentes (CFTV do Terminal).

9. SISTEMA DE PROTEÇÃO CATÓDICA.

Para as superfícies externas do fundo dos tanques, independente do tipo de base escolhida, e do oleoduto enterrado, deverá ser instalado um sistema do tipo por corrente impressa, conforme a Norma Petrobras N-420.

O funcionamento dos retificadores deverá ser monitorado pelo sistema SCADA.

10. SISTEMA DE UTILIDADES.

Serão ampliadas as redes existentes de água industrial, para atender às estações de utilidades do Terminal Marítimo, conforme relação abaixo:

- 2 estações de utilidades para atender os tanques TQ-6313005 e TQ-6313006;

- 2 estações de utilidades para as Bombas de carregamento de diesel e nafta para navios (B-6213 001 e 002 A / B) e bombas de transferência de diesel (B-6213003 e 004 A / B);

- 4 estações de utilidades para atender os tanques de nafta TQ-6313001, TQ-6313002, TQ-6313003 e TQ-6313004.

NORMAS

Dentre as normas indicadas no Memorial Descritivo do projeto, destacam-se aquelas a relacionadas a seguir:

NORMAS GERAIS DE PROJETO

Normas Petrobras

N-279 - Projeto de estruturas metálicas;

N-1674 - Projeto de arranjo de instalações industriais terrestres de petróleo, derivados, gás natural, e álcool.

MÁQUINAS

Normas Petrobras

N-0243 - Montagem de Bombas centrífugas;

N-0906 - Bombas Centrífugas para Serviços Médios.

CALDEIRARIA

Normas Petrobras

N-133 - Soldagem;

N-0270 - Projeto de Tanque Atmosférico;

N-0271 - Montagem de Tanques de Armazenamento;

N-0293 - Fabricação e montagem de estruturas metálicas;

N-1742 - Tanque de Teto Flutuante - Selo PW;

N-1743 - Fabricação e Montagem de Selo PW;

N-1888 - Fabricação de Tanque Atmosférico.

PINTURA E REVESTIMENTO ANTICORROSIVO

Normas Petrobras

N-02 - Pintura de Equipamento Industrial;

N-04 - Uso da Cor em Instalação terrestre;

N-442 - Pintura Externa de Tubulação em Instalações Terrestres;

N-1201 - Revestimentos Anticorrosivos para área Interna de Tanques de Armazenamento;

N-1205 - Pintura Externa de Tanque.

TUBULAÇÃO

Normas Petrobras

N-046 - Vãos Máximos Entre Suportes de Tubulação;

N-057 - Projeto Mecânico de Tubulação Industrial;

N-076 - Materiais de Tubulação para Instalações de Refino e Transporte;

N-108 - Suspiros e Drenos para Tubulações e Equipamentos;

N-2555 - Inspeção em Serviço de Tubulação.

UTILIDADES

Normas Petrobras

N-1601 - Construção de drenagem e de despejos líquidos em unidades industriais.

SEGURANÇA INDUSTRIAL

Normas Petrobras

N-1203 - Projeto de Sistemas Fixos de proteção Contra Incêndio em Instalações Terrestres com Hidrocarbonetos.

ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas)

NBR-17505-7, Jul-2006 - Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 7: Proteção contra incêndio para parques de armazenamento com tanques estacionários.

REGULAMENTAÇÕES TRABALHISTAS APLICÁVEIS

NR10 - Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade;

NR26 - Sinalização de Segurança.

ELETRICIDADE

Normas Petrobras

N-1600 Construção e Montagem de Rede Elétrica;

N-1614 Construção e Montagem de Subestação;

N-1735 Pintura de Máquinas, Equipamentos Elétricos e Instrumentos;

N-1996 Projeto de Redes Elétricas em Envelope de Concreto e com Cabos Diretamente no Solo;

N-1997 Redes Elétricas em Sistemas de Bandejamento para Cabos - Projeto, Instalação e Inspeção;

N-2006 Projeto de Sistema de Iluminação;

N-2167 Classificação de Áreas para Instalações Elétricas em Unidades de Transporte de Petróleo, Gás e Derivados;N-2830 Critérios de Segurança para Ambientes e Serviços em Painéis e Equipamentos Elétricos com Potencial de Arco Elétrico;

N-2884 Critérios para Eficiência Energética em Projetos Industriais.

ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).

NBR-5410 Instalações Elétricas de Baixa Tensão;

NBR-5418 Instalações Elétricas em Atmosferas Explosivas;

NBR-5419 Proteção de Estruturas Contra Descargas Atmosféricas;

NBR-14039 Instalações Elétricas de Média Tensão de 1,0 kV a 36,2 kV.

CONTRUÇÃO CIVIL

Normas Petrobras

N-1602 - Construção de pavimentos;

N-1644 - Construção de Fundações e de Estruturas de Concreto Armado;

N-2133 - Projeto de arruamento e pavimentação.

ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas)

NBR 6118/2007 - Projeto de estruturas de concreto - Procedimento;

NBR 6122/1996 - Projeto e execução de fundações.

INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL

Normas Petrobras

N-858 - Construção, Montagem e Condicionamento de Instrumentação;

N-1882 - Critérios para Elaboração de Projetos de Instrumentação;

N-1929 - Formulário para Detalhes de Instalação de Instrumentação;

N-1931 - Material de Tubulação para Instrumentação;

N-2595 - Critérios de Projeto e Manutenção para Sistemas Instrumentados de Segurança em Unidades Industriais.

ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas)

NBR 284 - Válvulas de Segurança e/ou Alívio de Pressão - Aquisição, Instalação e Utilização;

NBR 8447 - Equipamentos Elétricos para Atmosferas Explosivas de Segurança Intrínseca - Tipo de Proteção "I".

NORMAS INTERNACIONAIS

API (American Petroleum Institute)

650 - Welded Steel Tanks for Oil Storage;

2000 - Venting Atmospheric and Low-Pressure Storage Tanks Nonrefrigerated and Refrigerated.

MEIO AMBIENTE

Este projeto está em processo de obtenção de Licença de Instalação (LI) do órgão ambiental competente.

CRONOGRAMA

ATIVIDADE

Previsão início

Previsão fim

Estudos e Engenharia Básica

Jun/2008

Abr/2009

Licenciamento

Ago/2008

Set/2009

Parte terrestre do duto

Jun/2009

Jun/2010

Parte submarina do duto, PLEM e Quadro de Bóias

Out/2009

Jun/2010

Demais instalações terrestres do Terminal - tanques, bombas, interligação

Out/2009

Dez/2010

Aquisições de materiais críticos

Out/2009

Jun/2010

Instalações terrestres da produção - tanques, bombas, tratamento cáustico

Out/2009

Dez/2010

Pré-operação - 1ª Fase - Gasolina e Nafta

Mai/2010

Ago/2010

Pré-operação - 2ª Fase - Diesel

Nov/2010

Dez/2010

Fiscalização e Gerenciamento do empreendimento

Out/2009

Fev/2011

Fim do conteúdo da página