Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

PInterm 176 - 2001

Salvar em PDF

 

PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 176, DE 1º.6.2001 – DOU 4.6.2001 – REPUBLICADA DOU 5.6.2001

Revogada pela Portaria Interministerial nº 234, de 22.7.2002 – DOU 25.7.2002 – Efeitos a partir de 25.7.2002.

OS MINISTROS DE ESTADO DE MINAS E ENERGIA E DA FAZENDA, no uso das atribuições que lhes são conferidas pelo art. 87, parágrafo único, inciso II, da Constituição e tendo em vista o disposto no art. 3o, inciso III, da Lei no 8.178, de 1º de março de 1991, no art. 70, incisos I e II, da Lei n( 9.069, de 29 de junho de 1995, no art. 69 da Lei nº 9.478, de 6 de agosto de 1997, com redação dada pela Lei nº 9.990, de 21 de julho de 2000, na Medida Provisória nº 2.149, de 29 de maio de 2001, no Decreto nº 1.849, de 29 de março de 1996, e nos arts. 3 e 4, inciso I, da Portaria MF nº 463, de 6 de junho de 1991, e

Considerando a necessidade de manutenção de uma política de preços regulados no período que antecede a livre competição no fornecimento de gás natural às empresas distribuidoras e de consolidação de um ambiente onde predominem mecanismos de mercado;

Considerando a importância do Programa Prioritário de Termeletricidade – PPT instituído pelo Decreto nº 3.371, de 24 de fevereiro de 2000; e

Considerando a necessidade de adequação das condições de reajuste do preço do gás natural destinado às centrais termelétricas integrantes do PPT, com a data de reajuste da tarifa de fornecimento da concessionária de distribuição de energia, resolvem:

Art. 1º. Fixar o preço base máximo, em Reais por MMBTU, para suprimento de gás natural destinado à produção de energia elétrica pelas usinas integrantes do PPT, que entrem em efetiva operação comercial até 30 de junho de 2003, e incluam em seus contratos de suprimento compromisso firme de recebimento e entrega de gás, consoante a seguinte fórmula:

Preço Base = 2,581 US$/MMBTU x TMD0 sendo:

TMD0 = média das taxas diárias de câmbio (R$/US$) entre o trigésimo dia anterior e o trigésimo dia posterior à data de publicação desta Portaria.

§ 1º. Para o cálculo do preço base a que se refere o caput deste artigo será adotada, para cada data, a taxa de câmbio comercial de venda, divulgada pelo Sistema de Informações Banco Central – SISBACEN (PTAX-800).

§ 2º. Eventual benefício decorrente de renegociação do preço referência de importação de gás, por reflexo de alteração de fórmula de reajuste, poderá ser parcialmente repassado ao preço contratual vigente no âmbito do PPT, observados os valores definidos nos incisos I e II do art. 4º vigente à época.

Art. 2º. Limitar a quantidade de gás natural a ser contratada, nas condições de preço fixadas no art. 1ºdesta Portaria, e nas Portarias nos 43, de 25 de fevereiro de 2000, e 215, de 26 de julho de 2000, ambas do Ministério de Minas e Energia, a um volume máximo de 40 milhões de metros cúbicos por dia.

Art. 3º. Estabelecer que o preço do gás natural referido no art. 1º desta Portaria será, a critério do produtor de energia integrante do PPT, fixado em Reais por períodos sucessivos de doze meses, utilizando-se, obrigatoriamente, para este fim, o mecanismo criado no art. 6º desta Portaria.

§ 1º. A data de aniversário dos reajustes anuais dos contratos de gás natural, abrangidos por esta Portaria, será definida de acordo com o interesse do produtor de energia, podendo o primeiro reajuste de preços ocorrer em período inferior a doze meses.

§ 2º. Os produtores que não optarem pela sistemática de preços introduzida no caput deste artigo, sem prejuízo da observância do preço máximo fixado no art. 1º, manterão sua periodicidade de reajuste estabelecida em contrato de suprimento firmado de acordo com a legislação vigente.

Art. 4º. Decompor o preço do gás fixado no art. 1º desta Portaria em duas parcelas, sendo:

I - a primeira, correspondendo a oitenta por cento, com reajuste estipulado pelas variações da taxa cambial e do índice de preços ao atacado no mercado dos Estados Unidos da América; e

II - a segunda, correspondendo a vinte por cento, com reajuste estipulado pela variação do Índice Geral de Preços do Mercado – IGPM, calculado pela Fundação Getúlio Vargas.

§ 1º. No reajuste do preço máximo do gás natural será utilizada sistemática fixada para as parcelas de preço referidas nos incisos I e II, ainda que os produtores de energia estejam na condição referida no § 2º do art. 3º.

§ 2º. O indicador utilizado para apuração da evolução do índice de preços ao atacado no mercado dos Estados Unidos da América será o número índice do PPI, all commodities, publicado pelo U.S. Departament of Labor, Bureau of Labor Statistics.

Art. 5º. A Agência Nacional do Petróleo - ANP estabelecerá, em até trinta dias, valor máximo e regra de reajuste para a parcela do preço referente ao transporte em território nacional do gás natural importado destinado ao PPT.

Parágrafo único. O disposto no caput não se aplica aos contratos de transporte de gás assinados anteriormente à data de publicação desta Portaria.

Art. 6º. Criar a Conta de Compensação – CC e a Parcela Compensatória - PC destinadas a viabilizar a manutenção de preços constantes dos contratos a que se refere o art. 1º por períodos de doze meses consecutivos, com as seguintes características e definições, e fórmulas de cálculo detalhadas em anexo desta Portaria:

I - CC é definida como sendo o saldo do montante da diferença entre, de um lado, o preço, em Reais, do gás natural vigente nas diversas datas de vencimento das faturas, resultante da conversão do equivalente em dólares dos Estados Unidos da América da parcela do preço definida no inciso I do art. 4º por ocasião do último reajuste, utilizando-se a taxa de câmbio da data de faturamento, e, de outro, o preço fixo em Reais, nos termos do art. 3º, ponderado pelos volumes faturados, acrescido da respectiva remuneração financeira;

II - PC é definida como sendo o valor da CC, na data de aniversário do contrato, acrescido da estimativa de remuneração financeira a ser aplicada no período de compensação, dividido pelo volume de gás com compromisso firme de recebimento (take or pay), para o período de doze meses subseqüentes.

§ 1º. Somente será passível de compensação, por meio do mecanismo criado nesta Portaria, a parcela do preço a que se refere o inciso I do art. 4º.

§ 2º. A remuneração financeira referida no inciso I deste artigo incide sobre cada parcela desde a data da ocorrência da diferença de preço até a data de aniversário do contrato, e será determinada pela taxa de juros SELIC, em igual período.

§ 3º. A estimativa de remuneração financeira referida no inciso II deste artigo incide sobre os valores parciais apurados até a data de sua efetiva compensação.

§ 4º. A taxa de juros para a estimativa da remuneração da PC, a que se refere o inciso II deste artigo, será dada pela menor taxa obtida na comparação entre a taxa média ajustada dos financiamentos diários apurados no Sistema Especial de Liquidação e de Custódia – SELIC para títulos públicos federais, divulgada pelo Banco Central do Brasil, referente aos trinta dias anteriores à data de aniversário do contrato, e a projeção de variação indicada no mercado futuro de taxa média de Depósitos Interfinanceiros negociados na Bolsa de Mercadorias e Futuros, para prazo de doze meses após o aniversário do contrato.

§ 5º. A parcela da CC que não for compensada nos doze meses subsequentes à data de aniversário do contrato em virtude de diferenças entre as estimativas da taxa de remuneração financeira e dos volumes de comercialização previstos, comparativamente aos valores efetivamente verificados, será incorporada automaticamente à CC, sendo compensada nos doze meses subsequentes à próxima data de aniversário do contrato.

§ 6º. A compensação prevista neste artigo será integral no prazo de 12 anos, incidindo, após este período, apenas a PC decorrente dos resíduos de que trata o § 5º até a amortização total de seu valor.

Art. 7º. O preço inicial do gás de cada contrato, ao qual se aplica o mecanismo das CC e PC, será calculado de acordo com as seguintes fórmulas:

PG1 = PD1 + PR1

PD1 = 2,581 * 0,8 * PPI1 / PPI0 * TMD1

PR1 = 2,581 * TMD0 * 0,2 * IGPM1 / IGPM0

Onde:

PG1 = Preço inicial dos contratos de gás natural, aplicado ao período compreendido entre o início de fornecimento e a data do primeiro aniversário dos reajustes anuais após o início do fornecimento;

PD1 = Parcela do preço inicial dos contratos de gás com variação cambial pelo dólar dos Estados Unidos da América e com variação pelo índice de preços ao atacado no mercado dos Estados Unidos (PPI);

PR1 = Parcela do preço inicial dos contratos de gás com variação pelo IGPM;

PPI0 = número índice de preços ao atacado nos Estados Unidos (PPI all commodities) no mês de abril de 2001, publicado pelo U.S. Department of Labor, Bureau of Labor Statistics;

PPI1 = PPI correspondente ao mês anterior ao início do fornecimento de gás;

IGPM0 = número índice do Índice Geral de Preços do Mercado – IGPM, elaborado pela Fundação Getúlio Vargas, correspondente ao mês de março de 2001;

IGPM1 = número índice do Índice Geral de Preços do Mercado – IGPM, elaborado pela Fundação Getúlio Vargas, correspondente ao mês anterior ao início do fornecimento de gás;

TMD1 = média das taxas de câmbio diárias de venda do dólar dos Estados Unidos da América no período de trinta dias que antecede a data do primeiro aniversário dos reajustes anuais após o início do fornecimento, divulgada pelo Sistema de Informações Banco Central – SISBACEN (PTAX-800).

Art. 8º. A partir da data do primeiro aniversário dos reajustes anuais após o início do fornecimento, o preço do gás contratado com mecanismo de CC e PC será reajustado anualmente, com base nas seguintes fórmulas:

PGk = PDk + PRk + PCk

PDk = PDk-1 * PPIk / PPIk-1 * TMDk / TMDk-1

PRk = PRk-1 * IGPMk / IGPMk-1

Onde:

PGk = Preço dos contratos de gás natural, aplicado anualmente a partir da data do primeiro aniversário dos reajustes anuais após o início do fornecimento, para k maior ou igual a 2;

PDk = Parcela componente do preço dos contratos de gás com variação pela taxa cambial do dólar dos Estados Unidos da América e pela variação do índice de preços ao atacado no mercado dos Estados Unidos (PPI), para k maior ou igual a 2;

PRk = Parcela componente do preço dos contratos de gás com variação pelo IGPM, para k maior ou igual a 2;

PPIk = PPI correspondente ao mês anterior ao mês de aniversário dos reajustes anuais de cada contrato de gás, de cada ano contratual, para k maior ou igual a 2;

IGPMk = número índice do Índice Geral de Preços do Mercado – IGPM, elaborado pela Fundação Getúlio Vargas correspondente ao mês anterior ao mês de aniversário dos reajustes anuais de cada contrato de gás, em cada ano contratual, para k maior ou igual a 2;

TMDk = média das taxas de câmbio diárias de venda do dólar dos Estados Unidos da América no período compreendido pelos trinta dias anteriores a data de aniversário dos reajustes anuais de cada contrato de gás, divulgada pelo Sistema de Informações Banco Central – SISBACEN (PTAX-800), em cada ano contratual, para k maior ou igual a 2;

PCk = Parcela compensatória destinada a conferir cobertura para a variação cambial do preço do gás natural entre as datas de aniversário de reajustes anuais subseqüentes de cada contrato, para k maior ou igual a 2.

Art. 9º. O mecanismo de compensação criado e definido nesta Portaria poderá, observado o disposto no art. 2º da Medida Provisória nº 2.149, de 2001, ser aplicado a qualquer contrato de compra e venda de gás natural destinado à geração termelétrica, mediante acordo entre as partes e na forma da regulamentação vigente.

Art. 10. Os contratos de suprimento de gás realizados nas condições desta Portaria deverão apresentar cláusula de repactuação de três em três anos, podendo ser admitida a fixação de datas de aniversário diversas para volumes parciais do total do gás contratado.

Art. 11. O contrato de suprimento de gás realizado nas condições desta Portaria poderá ser transferido a outra supridora de gás.

Art. 12. O mecanismo que estabelece limite de repasse ao consumidor de energia elétrica, de que trata o § 2º do art. 10 da Lei nº 9.648, de 1998, deverá ser adaptado à sistemática de preços e critérios para o gás natural definidos nesta Portaria, de forma a alcançar sua plena eficácia.

Art. 13. O acompanhamento da aplicação do disposto nesta Portaria ficará a cargo da Agência Nacional de Petróleo - ANP.

Parágrafo único. O supridor de gás enviará mensalmente à ANP todas as informações necessárias ao cumprimento do disposto no caput deste artigo e no § 2º do art. 1.

Art. 14. Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

JOSÉ JORGE DE VASCONCELOS LIMA
PEDRO SAMPAIO MALAN

ANEXO

A Parcela Compensatória – PC - definida no inciso II do art. 6º será calculada pelas seguintes fórmulas:

PInterm_00176_2001image001.gifPInterm_00176_2001image002.gif

onde:

PInterm_00176_2001image003.gif= parcela compensatória componente do preço do gás, no ano k, para k maior ou igual a 2;

PInterm_00176_2001image004.gif = Taxa de remuneração financeira, a.m., estimada para o ano k;

PInterm_00176_2001image005.gif = estimativa do volume de gás a ser entregue no mês i do ano k;

PInterm_00176_2001image006.gif = saldo total da conta de compensação acumulado desde o início do fornecimento de gás até o início do ano k, a ser determinado pelas fórmulas abaixo:

PInterm_00176_2001image007.gif, paraPInterm_00176_2001image008.gif

PInterm_00176_2001image009.gif, paraPInterm_00176_2001image0010.gif

onde:

n = número de meses entre o início do fornecimento de gás e a primeira data de aniversário do contrato após o início do fornecimento;

PInterm_00176_2001image0011.gif Taxa SELIC, a.m., no mês j, ano k;

PInterm_00176_2001image0012.gif = Taxa SELIC, a.a., no ano k;

PInterm_00176_2001image0013.gif = saldo anual da conta de compensação no ano k, a ser determinado pelas fórmulas abaixo:

PInterm_00176_2001image0014.gif, para k=1

PInterm_00176_2001image0015.gifPInterm_00176_2001image0016.gif, paraPInterm_00176_2001image0017.gif

onde,

n = número de meses entre o início do fornecimento de gás e a primeira data de aniversário do contrato após o início do fornecimento;

PInterm_00176_2001image0018.gif = parcela do preço faturada em Reais mas que é reajustada pela variação cambial do dólar dos Estados Unidos da América e pela variação do índice de preços ao atacado no mercado dos Estados Unidos (PPI);

PInterm_00176_2001image0019.gif = volume de gás entregue no mês i do ano k;

PInterm_00176_2001image0020.gifTaxa SELIC, a.m., no mês j, ano k;

PInterm_00176_2001image0021.gifPInterm_00176_2001image0022.gif= preço em reais do gás natural vigente nas diversas datas de vencimento das faturas, convertido pela taxa de câmbio de venda do dólar dos Estados Unidos da América na data de faturamento, determinado pela fórmula abaixo:

PInterm_00176_2001image0023.gif,

onde:

PInterm_00176_2001image0024.gif = taxa de câmbio de venda do dólar dos Estados Unidos da América da data de faturamento no mês i, ano k;

PInterm_00176_2001image0025.gif= média das taxas de câmbio diárias de venda do dólar dos Estados Unidos da América no período compreendido pelos trinta dias que antecedem a data do aniversário dos reajustes anuais de cada contrato de gás, divulgada pelo Sistema de Informações Banco Central - SISBACEN (PTAX-800), em cada ano contratual, para k maior ou igual a 2.

Fim do conteúdo da página